Como participar

terça-feira, 21 de junho de 2016

A triste história do Assum Preto

Assum Preto
Tudo em vorta é só beleza
Sol de Abril e a mata em frô
Mas Assum Preto, cego dos óio
Num vendo a luz, ai, canta de dor (bis)
Tarvez por ignorança
Ou mardade das pió
Furaro os óio do Assum Preto
Pra ele assim, ai, cantá mió (bis)
Assum Preto veve sorto
Mas num pode avuá
Mil vezes a sina de uma gaiola
Desde que o céu, ai, pudesse oiá (bis)
Assum Preto, o meu cantar
É tão triste como o teu
Também roubaro o meu amor
Que era a luz, ai, dos óios meus.. ♪♫

A música Assum Preto composta pelo ilustre Luiz Gonzaga fala sobre a vida triste e na escuridão de um pássaro comum do nordeste brasileiro, conhecido como Assum Preto. Ao ouvirmos esta música, pensamos que pode ser mentira, e que não teriam pessoas no mundo capazes de fazer tal maldade com um pássaro indefeso. Mas pesquisando mais sobre o assunto, vi que isso de fato ocorre.O Assum Preto encanta quem está ao seu redor com seu canto alto e cativante e pelo fato dde cantar apenas durante a noite, seus criadores furam seus olhos com espinhos de laranjeiras, e na eterna escuridão o pássaro canta incessantemente. Muitos usam deste artifício para encantar os turistas que passam pelas cidades, na esperança de vender os animais.Nunca saberemos se este canto expressa sua profunda tristeza por estar preso e na escuridão ou se canta apenas por cantar.
Luiz Gonzaga diz em sua canção, que esta dor se compara a dor de um amor roubado, ou até mesmo não correspondido. 
Pela liberdade do Assum Preto, e por mais amores em nossas vidas, cantamos o Baião nordestino expressando nossos sentimentos e as mensagens que precisam ser ouvidas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário